sábado, 7 de dezembro de 2013

Símbolo Acessível em Libras


O símbolo Acessível em Libras foi criado pelo Centro de Comunicação (Cedecom) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

É utilizado para identificar algum conteúdo na língua de sinais ou com tradução/interpretação para Libras.

Veja mais informações no link: https://www.ufmg.br/marca/libras/



segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Primeira Central de Libras de Minas Gerais inaugurada em BH

A primeira Central de Interpretação de Libras (CIL) de Minas Gerais será inaugurada em Belo Horizonte nesta terça-feira (3). Com sede na avenida Amazonas, no Centro da cidade, a iniciativa tem como objetivo reunir profissionais que possam auxiliar pessoas surdas na resolução de demandas em órgãos públicos, tribunais e delegacias, entre outros.

De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), os interessados em contar com os serviços da CIL poderão agendar consultas por email e pelas redes sociais, como Facebook e Skype. Antes, é preciso realizar um cadastro com a apresentação de identidade e CPF.

A Sedese pretende implantar uma Central de Interpretação de Libras também em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. A expectativa da secretaria é de que o atendimento comece a funcionar ainda na primeira quinzena de dezembro.

Serviço

Inauguração Central de Interpretação de Libras – Belo Horizonte
Data e Horário: 3 de dezembro, a partir das 10 horas
Local: Casa dos Direitos Humanos, avenida Amazonas – 558 – 5º andar
Informações: (31) 3270 – 3200

Fonte: http://www.bhaz.com.br/central-de-libras-sera-inaugurada-em-bh-para-ajudar-surdos-na-resolucao-de-servicos-publicos/

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

A importância da escola bilingue para os surdos

Patrícia Luiza Ferreira Rezende, surda, diretora de políticas Educacionais da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (FENEIS), apresenta informações muito importantes sobre a educação bilingue dos surdos, na sexta audiência pública de Instrução do Projeto de Lei da Câmara nº 103, de 2012, de autoria da Presidência da República, que “Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências” que ocorreu nesta terça-feira (05/11), às 9h.

Uma oportunidade para os ouvintes conhecerem a competência dos surdos que, em um nível altíssimo de argumentação e defesa dos direitos dos surdos, expõe a situação real dos surdos no contexto educacional.

E, para muitos surdos terem a oportunidade de também acompanhar o que tem sido realizado (e também não realizado), de forma a garantir o direito da Educação Bilingue para os surdos.


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Como promover acessibilidade para surdos e cegos em uma palestra?



Nestes últimos meses, com a experiência, com erros e acertos, aprendi a ter uma atitude acessível para surdos e cegos em palestras. Foi uma grande surpresa e aprendizado. Tanto na palestra que ministramos no CEFET-MG para alunos do mestrado, quando no evento "Todos um"  no Uni-BH, sobre acessibilidade e ontem, após o evento no CEFET-MG, "Comunicação, Linguagem e Diferenças", quando tive a linda oportunidade de dar carona para uma das cegas. Vou compartilhar com vocês!

Então vamos lá.. 
Nossa experiência no Uni-BH foi fantástica, assim como no CEFET-MG.

Como ouvinte (que escuto) e vidente (que enxergo), apresento minha percepção e aprendizado e alguns elementos que precisamos ter atenção!

Letícia Capelão

Contribuição: Letícia Capelão (ouvinte), Thais Abreu (surda), Hadassa Rodrigues (Intérprete de Libras)


Em eventos com SURDOS, precisamos avaliar a quantidade e atuação dos Tradutores/Intérpretes de Libras (TILS).

1) Haverá surdos na platéia? Sim. Então precisamos de um TILS para traduzir a palestra em língua oral para os surdos da platéia.

2) Haverá também surdos palestrantes? Sim. Então precisamos de mais outro TILS: um para traduzir para a platéia e outro para traduzir para os surdos palestrantes ou da mesa redonda. Vale lembrar que a língua de sinais é uma língua viso-especial. Sendo assim, a interpretação precisa ser feita na direção do surdo.

3) O evento será transmitido via web ou TV. Sim? Então, precisamos de outro TILS. E esse vai interpretar em outro local com luminosidade adequada para que se possa realizar a filmagem ser transmitida na janela de interpretação.

4) Uma nova experiência apresentada pela Thais Abreu em um congresso foi a interpretação realizada por uma SURDA. A apresentação foi toda escrita em um papel (até agradecimentos) e enquanto uma pessoa falava em Língua Oral, a surda falava em Língua de Sinais.


Em eventos com CEGOS

1) Ter atenção à questão da acessibilidade através dos pisos-táteis.

2) Há cegos na palestra? Sim. Então é necessária uma atitude e atenção especial do palestrante. Ele precisa realizar a leitura de todo o texto do slide. Se houver figuras, ele precisa também realizar a descrição visual da figura. E então, fazer as devidas explicações sobre o assunto apresentado.

3) Há um cego palestrante? É necessário ter uma pessoa que realiza toda a leitura dos slides para o cego que então realiza a explicação do assunto apresentado.


Em eventos com SURDOS-CEGOS

1) Ter atenção à questão da acessibilidade através dos pisos-táteis.

2) Guias-intérpretes para os surdos-cegos que farão a interpretação em língua de sinais nas mãos dos cegos.

3)  Os guias intérpretes devem se sentar num local com boa iluminação pois há aqueles com baixa visão.


Ações comuns de acessibilidade para SURDOS E SURDOS-CEGOS


1) Qual o tempo de duração do evento? De acordo com o tempo, é necessário haver um revezamento dos TILSs e guias-intérpretes. Neste caso, serão necessários mais profissionais atuando no evento.

2) Devem usar roupas adequadas com cores neutras para não ficar muito poluído.

3) Outro fator a ser considerado é a luminosidade e o posicionamento dos TILS e guias-intérpretes no local.

4) Os palestrantes devem disponibilizar a apresentação com antecedência para os TILS e guias-intérpretes terem acesso ao vocabulário e conteúdo dos slides.

5) Se houver vídeos na apresentação, eles precisam ser interpretados em Língua de Sinais.


Meus comentários finais (Letícia): 
Como eu desconhecia as necessidades sobre a acessibilidade para os cegos, falhei em não ler todos os slides e descrever as imagens. 

Fica a experiência e aprendizado! Da próxima, vou me organizar melhor com o microfone, controle remoto, leitura descritivia, língua de sinais!! kkkkk.. É muita informação para processarmos!! :) 

Vale a recompensa final e o resultado em poder colaborar com a acessibilidade para todos!

domingo, 28 de abril de 2013

sábado, 27 de abril de 2013

Programa TV MInas - Libras (parte 2)

Vídeo exibido no programa Planeta, na TV Minas - Libras (parte 2)

23/04/2012 - Há dez anos, o Brasil deu importante passo rumo à inclusão com a Língua Brasileira de Sinais. Conheça esse mundo onde as palavras são pronunciadas por meio das mãos.

Programa TV MInas - Libras (parte 1)

Vídeo exibido no programa Planeta, na TV Minas - Libras (parte 1).

23/04/2012 - Há dez anos, o Brasil deu importante passo rumo à inclusão com a Língua Brasileira de Sinais. Conheça esse mundo onde as palavras são pronunciadas por meio das mãos.



Artigos em Libras - Revista Ravel

Para os pesquisadores da área de Língua de Sinais, saiu o novo número da Revel com bons artigos de amigos Elidéa Bernardino, Guilherme Lourenço, Neiva Aquino Albres, Ronice Quadros, Aline Lemos Pizzio, Vera Lucia Santiago Araújo, Vinícius Nascimento, SousAline Nunes, dentre outros. Ah, tem tb o meu! Boa leitura a todos! http://www.revel.inf.br/pt/edicoes/?mode=atual

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Livro "Vendo Vozes"


 

Livro "Vendo Vozes" de Oliver Sacks.
Um livro fantástico, escrito de maneira leve e sensível. Só lí o primeiro capítulo.. mas já indico!! Eu me emocionei com o primeiro capítulo. ;)

Sinapse:  
"O que é necessário [...] para nos tornarmos seres humanos completos? O que denominamos nossa humanidade dependerá parcialmente da linguagem? O que acontece conosco se não aprendermos língua alguma? A linguagem desenvolve-se de um modo espontâneo e natural ou requer contato com outros seres humanos?"

Numa fascinante incursão pelo universo dos surdos, Oliver Sacks procura responder a questões como essas. Sua preocupação não é simplesmente apresentar ao leitor a condição daqueles que não conseguem ouvir. Acompanhando a história, os dramas e as lutas dessas pessoas, o leitor será levado a olhar para o seu próprio cotidiano de um modo inteiramente novo. Será capaz de ouvir, nos sons da linguagem, um pequeno milagre que se repete cada vez que uma nova sentença é proferida.

Meu filho surdo de 5 anos precisa aprender Libras?

Uma situação hipotética apresentada na disciplina Fundamentos de Libras on-line Letras/UFMG.

 Você recebeu na escola onde trabalha - como professor ou como orientador educacional - os pais ouvintes de uma criança surda de 5 anos de idade. Esses pais não aceitam que seu filho aprenda Libras. Então, você precisará orientá-los quanto à educação de seu filho. Como você explicaria a esses pais a importância da Libras para o desenvolvimento da criança surda?



 Segue a minha resposta para os pais (OUVINTES) de um filho surdo. A resposta se baseia em minha experiência com meu irmão surdo pré-linguístico, de leituras do artigos "Educação Bilíngüe e a importância da Libras para a criança surda" da profa. Giselli Mara; "Um pouco da história das diferentes abordagens na educação dos surdos", da fonaudióloga Cristina Lacerda e do primeiro capítulo do livro de Oliver Sacks (Vendo Vozes) em que o autor retrata sobre a audição e história da educação dos surdos. 

Essa resposta está com um nível de língua portuguesa mais difícil para os surdos pré-linguísticos compreenderem. Se houver algum surdo que queira um texto mais simples ou se tivermos um vídeo para explicar em Libras, eu coloco aqui no blog. É só me falar. 

Se algum de vocês que ler este texto quiser contribuir, sugerir ou criticar algo no texto, fiquem à vontade.  É só dizer. Eu estou aprendendo e meu objetivo é compartilhar sobre o mundo dos surdos! ;)

****************
Minha reflexão/resposta:

Diante da situação vivenciada pelo seu filho surdo em nossa escola, gostaria de apresentar algumas razões importantes para que seu filho aprenda Libras.

O seu filho nasceu surdo e desde os primeiros momentos de sua vida, não teve ainda contato com sua língua natural que é a língua de sinais. No caso do Brasil, a língua de sinais se chama Libras (Língua Brasileira de Sinais). Da mesma forma, por não ouvir, ele também não teve e ainda não tem contato com a língua portuguesa. Diferente de uma criança ouvinte (que ouve) ele não pode aprender o português em seu dia-a-dia com seus familiares, colegas e outras pessoas. Desta forma, seu filho esteve até hoje, sem acesso a uma lingua formal para se comunicar, expressar seus sentimentos, interagir com o mundo. Essa capacidade de interagir e se comunicar com o mundo caracteriza a linguagem que, por sua vez, utiliza a língua de sinais como instrumento.

A aprendizagem da língua portuguesa para uma criança surda não proporciona o desenvolvimento de suas funções mentais de forma adequada pois sua língua natural é a língua de sinais. Os surdos tem uma percepção visual e não auditiva. Com isso, é muito difícil para o surdo aprender a língua portuguesa sem antes ter aprendido sua língua natural. Geralmente, demora uns 10 anos.

Vários estudos já foram realizados com crianças surdas que não tiveram contato com a língua de sinais nos primeiros anos de vida. Essas crianças tiveram um comprometimento no desenvolvimento cognitivo. Eu tenho um irmão surdo que não teve oportunidade de aprender Libras em seus primeiros anos de vida por questões sociais e educacionais. Com isso, hoje, já adulto, se percebe uma dificuldade na leitura e escrita da língua portuguesa. Ele é capaz de ler, escrever em língua portuguesa como um adulto ouvinte. Mas como tem uma defasagem no vocabulário em comparação com outros surdos que tiveram acesso à língua de sinais nos primeiros anos de vida (até uns 7 anos, em média). Por outro lado, conheço surdos que nasceram com surdez profunda, aprenderam Libras na adolescência e se comunicam perfeitamente em língua portuguesa (tanto para leitura quanto escrita).

A língua de sinais tem então além da função social e comunicativa, também uma função cognitiva pois possibilita o desenvolvimento do pensamento (abstração, generalização etc). A linguagem exerce uma função organizadora e planejadora. Por outro lado, estudos sobre crianças surdas, filhas de surdos, demonstram que estas apresentam desenvolvimento linguístico, cognitivo e acadêmico comparáveis ao de crianças ouvintes, filhas de pais ouvintes, o que apontam para a importância dos surdos serem expostos a língua de sinais o mais cedo possível.


Os problemas sociais e de desenvolvimento para uma criança surda que não aprende língua de sinais, já comprovados são:

  • O conteúdo de educação dos surdos é pobre em comparação com as ouvintes pois gasta-se muito tempo ensinando a criança surda a falar (5 a 8 anos de ensino individual intensivo). Com isso, sobra pouco tempo para transmitir informações, cultura, habilidades complexas ou qualquer outra informação;
  • Como ela demora a aprender a língua portuguesa e não aprende Libras, ela fica sem oportunidade de usar a linguagem, um dos principais recursos para solução de tarefas
  • A criança não saberá como recorrer ao planejamento para solução de problemas, pois sem uma língua ela perde a capacidade de proposionar. Uma criança sem uma língua não é capaz de proposicionar interna ou externamente. O proposicionar está relacionado a se expressar, de dizer às outras pessoas o que pensa e para dizer a si mesmo o que pensa.
  • Com esses problemas, a criança não adquire independência, não controla seu próprio comportamento e ambiente e não se socializa adequamente.

O neurologista Oliver Sacks destaca que um aspecto essencial na educação de surdos: “as pessoas profundamente surdas não mostram em absoluto nenhuma inclinação inata para falar. Falar é uma habilidade que tem de ser ensinada a elas, e constitui um trabalho de anos. Por outro lado, elas demonstram uma inclinação imediata e acentuada para a língua de sinais que, sendo os que a aprendem (como primeira língua) e possui a beleza e excelência instrínsecas, às vezes superiores às da fala’”.

De: Letícia Capelão
leticiacapelaoprof@gmail.com
Esta reflexão pode ser compartilhada e publicada em outros locais, desde que seja mantido o texto completo e seja citada a autora/fonte.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Entrando no mundo dos surdos

Qual a melhor forma de educar meu filho surdo, com 5 anos de idade? Será mais indicado ele aprender a falar ou aprender Libras?

Por que os surdos tem dificuldade com a língua portuguesa se eles sabem ler?

A língua de sinais é universal?


*****************

Eu,  Letícia Capelão, como irmã de um surdo e pesquisadora sobre os surdos e Libras tenho algumas dicas e informações que podem ser muito úteis!

Em breve publicarei sobre este tema....




Uma viagem ao mundo da Libras

Projeto "Diálogos de Inclusão"

O Projeto "Diálogos de Inclusão" pretende desmitificar os preconceitos enraizados na nossa sociedade, levando o visitante ao novo conhecimento de mundo e despertar para o ensino-aprendizagem da Libras. Assista ao vídeo promocional do evento:



 



Venha participar ! O projeto Diálogos de Inclusão procura voluntários para auxiliar no evento. Preencha a ficha de intenção no link a baixo e participe dessa iniciativa !

Eu quero ser voluntário no projeto




terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Curso de Capacitação em Libras

Curso de Capacitação em Libras - LibrasHORIZON
MATRÍCULAS ABERTAS!
(31)3421-2499 - libras@grupohorizon.com.br
 

UNIDADES:
Belo Horizonte: Av. Pres. Carlos Luz, 535, Caiçara (No Instituto Sagrada Família)
Contagem: Rua Riso do Prado, 198, Jardim Eldorado
(Na ASC-Associação dos Surdos de Contagem, atrás da Faculdade SENAC).






Curso de Libras - Feneis - 2013

A Feneis de Minas Gerais está com inscrições abertas para o Curso de Libras, no Bairro Cruzeiro, no Barreiro e Barro Preto.

Mais informações no link: http://www.feneismg.org.br/curso_libras_2013.htm